Menu Fechar

Os videojogos falsos com malware fazem estragos

videojogos com malware

Os videojogos falsos com malware

Minecraft, GTA 5 e Sims 4 lideram o ranking com um terço dos ataques

De acordo com uma investigação realizada pela Kaspersky, os hackers estão a ganhar cada vez mais vantagem devido à crescente procura por videojogos, o que lhes permite distribuir malware através de cópias falsas dos jogos mais populares. Mais de 930.000 utilizadores foram atingidos por este tipo de ataques nos últimos 12 meses, no período de junho de 2018 a junho de 2019. “Minecraft”, “GTA 5” e “Sims 4” são os jogos mais utilizados para espalhar malware, concentrando mais de um terço destes ataques.

Os videojogos são uma tendência que já dura há vários anos, mas foi o poder da Internet que veio acelerar o seu crescimento e evolução. Nos dias de hoje, cerca de uma em dez pessoas da população mundial joga jogos online. Assim como outras formas de entretenimento digital, os videojogos estão vulneráveis a vários tipos de abusos, como violação de direitos de autor ou torrent-trackers ilegais, mas agora enfrentam outro tipo de ameaça que tem vindo a crescer: o uso fraudulento de marcas para camuflar a distribuição de malware. Muitos dos videojogos mais utilizados pelo público estão disponíveis em plataformas digitais de distribuição e estas nem sempre conseguem detectar se os ficheiros de software que são carregados na plataforma são legítimos ou se contêm malware disfarçado. Os investigadores da Kaspersky analisaram os ficheiros infetados que foram detetados entre 2018 e o primeiro semestre de 2019 e concluíram que a lista de videojogos mais perigosos é liderada pelo jogo “Minecraft”. O malware disfarçado neste jogo foi responsável por cerca de 30% dos ataques ocorridos, tendo atingido mais de 310.000 utilizadores. Em segundo lugar na lista surge o jogo “GTA 5”, cujo malware atingiu mais de 112.000 utilizadores. Já o terceiro lugar é ocupado pelo “Sims 4”, com quase 105.000 utilizadores atingidos.

De acordo com os investigadores, os hackers também tentaram persuadir os utilizadores a descarregar ficheiros maliciosos, fazendo passar estes ficheiros por jogos que ainda não tinham saído para o  mercado. Versões falsas de pelo menos dez jogos em pré-lançamento foram descobertas, sendo que cerca de 80% das deteções estiveram concentradas nos jogos FIFA 20, Borderlands 3 e Elder Scrolls 6.

Fonte: Kaspersky Labs

Clique aqui para aceder ao documento na íntegra da Kaspersky Labs

1.120 Views